Mitos e verdades sobre o consumo de energia do ar-condicionado – parte 2

Por Ambiente em 9 de novembro de 2017

A temperatura do ar-condicionado influencia no consumo de energia? E ligar o equipamento de janela aberta, interfere no funcionamento do aparelho? Você já leu sobre alguns mitos e verdades aqui, e agora você pode conferir as demais dúvidas aqui:

A temperatura do ar-condicionado afeta o consumo de energia

Verdade. Isso vale para os dois extremos: colocar o aparelho de ar-condicionado na temperatura mínima (no modo de resfriamento) e máxima (no aquecimento) consome mais energia elétrica em comparação com os valores mais amenos. Manter o ambiente em temperaturas próximas a 23°C evita gastos excessivos, além de ser o mais confortável e adequado ao corpo humano.

Deixar a janela aberta com o ar-condicionado ligado não influencia o consumo de energia

Mito. Se você vir uma janela aberta em ambiente climatizado, trate de fechá-la rapidamente. Além de pesar no bolso no final do mês, esse costume pode comprometer o bom funcionamento do equipamento, uma vez que o ar-condicionado não conseguirá realizar a sua tarefa de climatizar o ambiente de forma satisfatória.

Manter os filtros limpos evita gastos desnecessários de energia

Verdade. A limpeza bem feita do aparelho é uma das formas mais simples e eficientes de não desembolsar quantias dispensáveis com energia. Os filtros sujos impedem a circulação livre do ar, forçando o ar-condicionado a trabalhar mais e, consequentemente, consumir mais energia.

Quanto mais novo, mais econômico é o aparelho

Depende. A tendência é essa, mas o que realmente vai indicar uma economia maior é o Selo Procel, que leva em conta a eficiência energética medida pelo CEE (Coeficiente de Eficiência Energética). Quanto maior o CEE, mais econômico é o aparelho. A classificação é dividida em A, B, C, D e E – e ultimamente os equipamentos mais recentes têm sido fabricados para gastarem menos energia.

Tags:




[sharify]